Concorrendo a uma vaga

14 Apr 2020

 

Quem concorre a uma vaga de um emprego, ou mesmo de um estágio, precisa ficar atento ao conhecimento e domínio da língua portuguesa, pois os testes ortográficos e as redações são os que mais reprovam, de acordo com levantamento do Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube). Várias empresas estão com milhares de vagas abertas e os processos seletivos estão a todo vapor. Parece que há mais vagas do que gente qualificada. Por que tanta dificuldade nessa área?

 

Uma informação interessante sobre esse levantamento é que uma das etapas da seleção, o teste ortográfico, aplicado em forma de ditado, reprovou mais os estudantes de nível médio técnico de escolas públicas. Em relação aos universitários, a reprovação atinge mais os que estudam em instituições particulares e os dos cursos de pedagogia, jornalismo e matemática. Os do curso de Matemática a gente até entende, mas os dos cursos de pedagogia e jornalismo??? Preocupante isso, não é? E mais um dado: os homens tiveram desempenho pior do que as mulheres tanto no teste ortográfico quanto na redação. A conclusão é simples: nossa educação tem deixado a desejar e a pouca leitura agrava quadros como esse.

 

O estudo realizado com pouco mais de 7.000 estudantes revela que uns 2.000 candidatos (28,8%) não tiveram êxito no teste ortográfico e foram eliminados. O teste foi aplicado na forma de ditado, com 30 palavras de uso no cotidiano, como "seiscentos", "escassez", "artificial", "sucesso", "licença" e "censura". Era considerado reprovado quem cometesse mais de sete erros. O índice de reprovação entre as mulheres ficou em 26,6%, e entre os homens, em 32%.

 

E, na redação, o resultado foi parecido. Novamente as mulheres tiveram um resultado melhor do que os homens. Elas tiveram maior índice de aprovações na redação, com 85,5%. Entre os homens, o índice foi de 80,7%. E os cursos que se destacaram positivamente foram os de Direito (90%), Engenharia Civil (88%) e Engenharia Mecânica (86%). Esses tiveram o maior índice de aprovação. Já os de Turismo (66%), Educação Física (33%) e Publicidade (27,5%) tiveram os piores índices. Impressiona o fato de os jovens na fase da universidade registrarem erros tão graves na grafia. Mas isso ocorre porque apenas 25% dos brasileiros mantêm o hábito da leitura. O reflexo é percebido antes do ingresso no mercado de trabalho. Muitos ficam pelo caminho e são excluídos das chances de construírem uma carreira, por terem pouca intimidade com as palavras.

 

O bom desempenho das mulheres na redação pode ser explicado pelo fato de elas se interessarem mais pela leitura, seja em romances ou revistas. Porque é assim que elas absorvem um maior repertório de palavras e estabelecem uma maior concordância no momento de elaborar uma redação. Mas, além dos romances, das revistas, a mulher tem se preparado mais para enfrentar a concorrência masculina no mercado de trabalho.

 

A única saída para reverter o mau desempenho é a prática da leitura e o hábito de escrever as ideias. O desafio para os futuros profissionais não é apenas concluir o curso, mas mostrar domínio do nosso idioma. É importante organizar os assuntos a serem redigidos. Tudo precisa ter uma introdução, um desenvolvimento e uma conclusão, ou seja, um começo, meio e fim. Não se deve escrever em 1ª pessoa, com expressões como "eu acho", "eu penso", "eu acredito". Além disso tudo, muitos são reprovados porque não releem o que escreveram, não revisam para corrigir os erros antes da entrega. A pressa, nesse caso, só prejudica.

 

Na prática, como se dá o processo de seleção de estagiários ou para empregos?

Esse processo se dá da seguinte forma: depois de selecionar os candidatos pelo perfil técnico, por meio de uma triagem no cadastro da entidade, as empresas geralmente aplicam testes presenciais, que são compostos da apresentação pessoal (o candidato fala dele mesmo, de seus dados pessoais, de suas competências do currículo e de suas características) e da atividade em grupo. Nessa etapa, é feita a avaliação de competências; e em seguida testes de raciocínio lógico, ortográfico, redação e, em muitos casos, inglês.

 

O que mais reprova é o teste ortográfico e redação, seguido das atividades em grupo. Muitos candidatos nem sabem para qual empresa estão concorrendo. Por outro lado, outros estão ali por causa da empresa, porque têm vontade de seguir carreira nela, e isso conta bastante. Também é importante cuidado com o que vai vestir, como vai falar, como deve se sentar. Não se pode esquecer que tudo será avaliado. Eis um passo a passo:

 

 1-Faça uma pesquisa sobre a empresa, ter um certo domínio conta pontos; 2- Escolha uma roupa adequada, não seja desleixado, mas não exagere; 3- Seja pontual, não dá para confiar em quem se atrasa antes mesmo de ser contratado; 4- Seja educado, cumprimente, tenha um bom aperto de mão, sorria, sente ereto, tenha um tom de voz agradável e cuidado com a informalidade nessa hora; 5- No teste de redação, não abra mão do rascunho; 6- No teste ortográfico, se tiver dúvida sobre a grafia de alguma palavra, escreva mais de uma vez e deixe a que ficar mais "agradável" aos seus olhos (também é interessante colocar ao lado da palavra duvidosa um sinônimo cuja grafia você domine). Por exemplo, teve dúvida sobre a grafia de "escassez" escreva, ao lado, "falta"; se for "empecilho", coloque “obstáculo” ou “dificuldade”. O corretor vai entender que você usa essa estratégia no cotidiano e vai gostar.

 

No dia a dia, pratique muito e leia. Você nunca sabe quando vai aparecer uma oportunidade que pode mudar a sua vida. Então, comece essa mudança lendo mais e praticando a redação. Quando a oportunidade surgir, você estará pronto.

 

 

 

Please reload

Posts

Redação e Progresso Profissional

May 2, 2020

1/3
Please reload

Posts Recentes

March 26, 2020

Please reload

Siga Fernanda
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black LinkedIn Icon

© Fernanda Bérgamo

Proudly created by Holanda

WhatsApp Fernanda Bérgamo